‘Seu pessoal está com goela muito aberta’, diz Emilio Odebrecht a Lula

Em um dos anexos que ofereceu por escrito para firmar sua delação premiada, o patriarca do Grupo Odebrecht, Emilio Odebrecht, relatou ter dito a Lula que o “pessoal dele estava com a ‘goela muito grande'”.

“Estavam passando de ‘jacaré para crocodilo'”, escreve.

https://youtu.be/GVITJKF04AM

Emilio fez as declarações por escrito, antes de depor ao Ministério Público. No texto, ele relata como funcionavam as negociações sobre doações de campanha ao ex-presidente e ao PT. Ele não detalha quando o episódio teria acontecido.

“O pedido de ajuda era de fato feito por ele, diretamente a mim, mas combinávamos sempre de designar um representante de cada lado para negociar os valores e combinar os detalhes”, escreve Emilio.

No vídeo ele retoma: “Aí houve aquela colocação de jacaré e crocodilo, dizendo que no fundo um estava querendo minimizar e outro maximizar e que era importante eu dar o puxão de orelha no meu pessoal e ele dar o puxão de orelha”.

SÃO PAULO, SP, 24.03.2017; REUNIÃO-PT - O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva participa de evento promovido pelo PT, com debate sobre o tema "O que a Lava Jato tem feito pelo Brasil?", nesta sexta-feira (24) no hotel Pestana em São Paulo. (Foto: Nelson Antoine/Agif/Folhapress)

SÃO PAULO, SP, 24.03.2017; REUNIÃO-PT – O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva participa de evento promovido pelo PT, com debate sobre o tema “O que a Lava Jato tem feito pelo Brasil?”, nesta sexta-feira (24) no hotel Pestana em São Paulo. (Foto: Nelson Antoine/Agif/Folhapress)

Inicialmente, Lula indicou Palocci e Emilio, Pedro Novis – então diretor presidente da empresa – e, depois, o filho Marcelo, quando assumiu a presidência da companhia em 2009.

Ele relata que chegou a interpelar o ex-presidente quando houve dúvidas sobre os valores acertados. “Presidente, seu pessoal quer receber o máximo possível, e meu pessoal quer pagar o mínimo necessário.”

Em outro trecho, Emilio diz que – apesar de não conhecer detalhes – sabia que parte dos pagamentos se deu “com recursos de caixa dois”. Minha estimativa é que tenhamos pagado ao PT e a Lula em atendimento a solicitações feitas a pretexto de campanha o montante em torno de R$ 20 milhões por campanha.”

OUTRO LADO

Em nota, o Instituto Lula informou que o ex-presidente nunca pediu valor indevido à Odebrecht nem “a qualquer outra pessoa”. “Lula não tem nenhuma relação com qualquer planilha na qual outros possam se referir a ele como ‘Amigo'”, diz.

INVESTIGAÇÃO

O ministro Edson Fachin determinou a abertura de inquérito contra oito ministros do governo Michel Temer (PMDB), 24 senadores e 39 deputados federais. Serão abertas 76 investigações pedidas pela Procuradoria-Geral da República após as delações da Odebrecht.

“Fonte Folha de São Paulo”

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Facebook Twitter Google+ linkedin email More
Copyright © Portal de Notícias e Guia Comercial de Conservatória - O melhor portal de informações e entretenimento de Conservatória