TSE vai considerar ‘complexidade do tema’ ao julgar Dilma-Temer, diz Gilmar Mendes

Tribunal Superior Eleitoral começará a julgar nesta terça (4) ação do PSDB na qual o partido pede a cassação da chapa, sob a acusação de que houve abuso de poder político e econômico.

presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Gilmar Mendes, afirmou nesta segunda-feira (3), em São Paulo, que a Corte vai levar em conta “toda a complexidade do tema” ao julgar a chapa Dilma-Temer.

O julgamento começará nesta terça. Na ação, o PSDB pede a cassação da chapa que teve Dilma Rousseff como candidata a presidente e Michel Temer como vice, sob as acusações de que houve abuso de poder político e econômico e recebimento de propina, o que os advogados negam.

“O tribunal faz análise de toda a complexidade do tema, tendo em vista toda a repercussão, e, em geral, é muito cauteloso nestas questões. Temos dois processos de cassação de governadores, e os relatores que se debruçaram sobre o tema trouxeram seu voto, Tocantins e Amazonas, e em seguida houve pedidos de vistas”, disse Gilmar Mendes nesta segunda.

“Em geral, são processos que demandam análise. Se levar em conta a própria admissibilidade desse processo da chapa Dilma-Temer, houve três pedidos de vistas: o meu, do ministro [Luiz] Fux e o da ministra Luciana”, acrescentou o presidente do TSE.

Mais cedo, nesta segunda, véspera do início do julgamento, os advogados de Dilma e Temer enviaram novos documentos ao TSE.

A defesa do presidente, por exemplo, pediu que os depoimentos de ex-executivos da Odebrecht sejam excluídos do processo. Já a defesa da ex-presidente voltou a dizer ao tribunal que as contas não podem ser separadas, como pede Michel Temer.

‘Variáveis’

Ao dizer em São Paulo que a “complexidade do tema” será levada em conta no julgamento, Gilmar Mendes declarou também que, em geral, o TSE pondera as “diversas variáveis” em casos como esse.

Segundo o ministro, até agora, somente o relator, ministro Herman Benjamin, “se debruçou sobre o tema em sua profundidade” e, a partir de agora, é que o plenário do TSE passará a analisar o processo de forma “mais cuidadosa”, analisando “suas implicações”.  gmendes21

O ministro Gilmar Mendes, presidente do TSE, participou de evento em São Paulo (Foto: Glauco Araújo/G1)

Estabilidade

Questionado sobre se a estabilidade política do país servirá como uma espécie de critério no julgamento da chapa Dilma-Temer, Gilmar Mendes limitou-se a dizer: “Não vou emitir juízo sobre isso, é um julgamento complexo e certamente o tribunal terá que fazer análise de toda ordem.”

Facebook Twitter Google+ linkedin email More
Copyright © Portal de Notícias e Guia Comercial de Conservatória - O melhor portal de informações e entretenimento de Conservatória